quinta-feira, 29 de março de 2012

Gente

Eu gosto de gente com alegria súbita, que faz graça da própria dor.
Gente que sorri chorando, que chega sem espera, que espera sem pressa.
Gente que namora na janela, gente que não tranque o portão.  
Gente que acorda ranzinza e dorme feliz. 
Gente que se aproxima, gente que foge da solidão. 
Gente que escreve no ar e desenhe nas nuvens. 
Gente serena, gente trovão.

sexta-feira, 23 de março de 2012

Se for, sem ir...

Bonito o suficiente para me prender em seu rastro de vaidade. E se ele ainda souber escrever com leveza e rir com ingenuidade... Me convida a ser feliz, como jamais consegui ser. Se ele disser que virou a noite pensando em mim, por ter se assustado com minha espontaneidade, se ele disser que não entende como não me conheceu antes, mas afirmar com certeza que me conhece de outras vidas... Ah, se ele for o que eu penso. Se for só uma vez... Se for só desta vez. Se ele conseguir arrancar do meu peito esse rancor de não ter sido ninguém na vida de alguém... Se desta vez for ele...

quinta-feira, 15 de março de 2012

Medo submerso

A madrugada bate na porta, trazendo da rua gelada o que restou das duvidas. 
O tempo não mostra mudanças, porém, os dias passam.
Eu paro. Não tenho a quem recorrer. 
Dramaticamente me tornei a vilã.
E não se pode voltar. 
E não consigo escrever sobre. 
Por medo de me afundar mais e mais.