terça-feira, 23 de junho de 2015

O amor sempre me estapeia a cara por culpa de quem sentiu pouco

Seguirei escrevendo
sobre todo e qualquer amor
que revigora e devora a alma com gosto
Porém, os raios de Sol acariciam minha pele,
fazendo-me desejar outro amor
Outro amor que possa ser escrito
atrás da porta de algum banheiro público
Não escrito no papel higiênico,
enquanto você cagava planos de um futuro perfeito
Até o nosso amor virar merda...
E entupir o vaso, o nariz e as artérias.

8 comentários:

  1. Tu é um amor, um amor alimentando-se da tua unidade, isso é ser como uma estrela anã, que consome-se enquanto brilha. Te amo, como se ama no céu, todas as maravilhas.
    Eu gosto de ti.

    ResponderExcluir
  2. Como a Simone, deixo que tuas poesias me estapeiem. Cada tapa é um mar de sensações, vou me alimentando.
    Tua poesia me lembra Hilda, as mesmas beleza e intensidade.

    ResponderExcluir
  3. Impossível ficar indiferente ao que você escreve Hellen!!

    Sempre intenso, indomável e marcante.

    Uma pena esse amor ter virado uma merda.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Poxa, lindo, Guria! Ótimas e contundentes imagens. Intensa!

    ResponderExcluir
  5. não culpemos o amor pelos maus tratos...amor é isso mesmo dor...dor que só se revigora no encontro de quem se ama e nos retribui...se assim não acontecer é mesmo bom que se puxe o autoclismo e rápido!

    ResponderExcluir