sábado, 5 de agosto de 2017

Quis tanto ser sua, mas não foi possível querer por você

Fingirei que não aconteceu nada 
Que essa história estacionou há meses atrás
Mas há dois dias você ressurgiu
Esquecendo as mágoas
Você sempre esquece tudo o que causa
Queria ter sido indiferente
Ter lhe ofertado o meu silêncio
Mas nesses meses todos
Seu nome não se afastou da minha boca
E nem o nosso calor dos meus pensamentos
Ontem eu passei o dia com náuseas
Com dores imaginárias
Não consegui comer
Havia pedras no estômago em vez das borboletas
Algo assim não poderia ser bom
No entanto, escolhi as roupas para ir te ver
Perfume
Batom
Só não consegui escolher o rosto que te olharia
Se com as mágoas que você esqueceu
Se com paixão por tudo que já vivemos
Não foi preciso escolher
Você me esqueceu
Ontem você me esqueceu
Há dois dias falou da saudade de nós dois
No seu quarto conversando e discutindo
Brigando e se amando
Longe e perto
Frio e tesão 
Exatamente nessas palavras
Você só precisava de mim 
para suprir necessidades carnais
Como se meu sentimentalismo 
não adentrasse o pacote
Você me feriu novamente
Pelo menos na minha poesia você não sairá impune
Dessa vez acabou comigo, mas eu também acabei com isso
Sem provar pela última vez do seu gosto
Talvez tenha sido melhor assim 
menos coisas para lembrar e escrever
Senti saudade por indizíveis cinco meses
para você aparecer e arremessar ao chão 
meu coração que eu acabara de colar
Meu rancor será sempre teu, meu amor.




2 comentários:

  1. O que dá raiva, é que ter raiva ainda nos liga ao outro. A paz está um pouco além deste aqui.

    ResponderExcluir
  2. Sua verdade faz com que eu deixe de ignorar algumas dores de uma saudade que não passa.

    ResponderExcluir