terça-feira, 11 de abril de 2017

Obrigada, por repugnar meus frágeis sentimentos

   Eu deveria ter pedido para você me escutar naquela noite, sentado ao meu lado na cama. Me escutar como se eu fosse uma pessoa que você acabara de conhecer no supermercado, igualzinho naqueles clichês americanos. Aonde um dos personagens precisa discorrer algo seríssimo, senão explode. Precisava que você me escutasse dizer que eu queria que alguém gostasse de mim sem medo. Sem medo do piegas, sem medo de lembrar de mim no meio da tarde e me enviar uma mensagem, 'lembrei de você e você deve saber'. 
   Eu gostaria de ter dito que mereço mais do que compartilhar risos pós sexo e que quero gostar de alguém sem medo de ser ridícula, eu devia mesmo ter te dito todas essas coisas e ter te tirado para amigo depois de todas as transas fervorosas, porque no fundo eu sabia, você não queria e não podia me dar mais que isso. Mais que suores dissolvidos num disfarce de 'nos vemos durante a semana', sabendo que não nos veríamos não. 
   Você não sabia abreviar a sua vontade de mim me dizendo bom dia, isso não cabe nessa era de sentimentos líquidos, como previu Bauman. E é uma pena. A dúvida do se azucrina a minha cabeça, talvez, se eu tivesse te dito tudo, eu não teria te tirado desse modo brusco da minha vida. A máxima de 'quem se importa procura' é verídica. Eu te tirei da minha vida e você se distraiu demais para me procurar. Sim, no fundo eu sabia.


























Imagem: Tina Maria Elena

domingo, 9 de abril de 2017

Eu esvazio a esperança. Dessa dança eu entendo. Remendo deveria ser meu sobrenome.

Queria não me magoar 
tentando te agredir

Beijando outras bocas 
enquanto você lava os seus lençóis 
para me esquecer depressa

Você não me diz mais nada
Eu também não digo

Ontem li uma frase
Não sei de quem é

Ínfima
Ela me lembrou do
Cansaço de todas as hipóteses

Eu só quero me apaixonar por alguém 
que faça tocar Cyndi Lauper 
dentro do meu coração.

Título: Fábio Chap