quarta-feira, 10 de julho de 2013

Ninguém me encanta como você

Pensei que te encontraria no desencontro
Mas estamos nos perdendo mais
Cheguei ao ápice de te querer tanto

E não te ter poderia ser minha
infelicidade particular,
se eu não escrevesse sobre isso.

Fracasso na vontade de te escrever 
coisas só minhas
Roubo todas as palavras 
dos poetas mais corajosos do mundo 
se for pra te dizer sobre o que luto pra entender

Tomei a ternura da Alice Ruiz
Pra você saber...

ninguém me canta
como você
ninguém me encanta
como você
nem me vê
do jeito
que só você
de que adianta
ter olhos
e não saber ver
ter voz
mas não ter o que dizer
digam o que disserem
façam o que quiserem
ninguém diz
ninguém vê
ninguém faz
como você
ninguém me canta
ninguém me encanta
como você

4 comentários:

  1. hellen, que inspirador esse poema! super certeiro, moderno e real. :)

    ResponderExcluir
  2. que poema lindo, de um particularidade singular!
    Myllena,
    Minhas Pequenas Verdades

    ResponderExcluir
  3. gostei do jeito do poema. bonito.

    flores.

    ResponderExcluir
  4. "Meu zen, meu bem, meu mal" - Caetano.

    ResponderExcluir