domingo, 18 de agosto de 2013

João (meu) alguém

Naquela conversa
tu deixou de ser o João
e eu a Helen - com um L só

Falamos sobre futebol
e vícios

Da falta de tempo
ao futuro

Nem parecia
que um dia ia faltar o que falar

O que parece mesmo
é que regredimos no
diálogo básico

Eu não sei te dizer oi
sem lembrar dos meus receios
Você não aceita o meu afeto 
sem estragar com meus devaneios

Mas mesmo assim
tu consegue ser
a poesia que chega
nas tardes cinzas

Não tivemos tempo
de nada
mas te lembro sempre

O dia 12 de todos os meses
tem o teu nome no meu calendário

E eu tenho você
no coração 

5 comentários:

  1. belas palavras, sempre guardo alguém..

    ResponderExcluir
  2. A poesia é do silêncio a melodia.
    GK

    ResponderExcluir
  3. Belíssimo!

    "Mas mesmo assim
    tu consegue ser
    a poesia que chega
    nas tardes cinzas"

    É como eu digo: a poesia vale o amor.

    ResponderExcluir
  4. Vi uma nova foto noutro Blog, vim correndo... cadê a foto?! De novo João... "Naquela conversa tu deixou de ser o João e eu a Helen - com um L só", Me pergunto, será que brincavas tão bem de bonecas como brincas com as palavras? Deviam ser bem conservadas, de roupinhas limpinhas, se é que saiam da caixa. Gosto do teu fazer, desfazer e refazer poético.

    http://apoesiaestamorrendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Nunca entendemos muito bem, mas é melhor toda oportunidade que há de ser nós.

    ResponderExcluir