sexta-feira, 21 de março de 2014

Coragem adéliopradiana

Foi na controvérsia
que eu te sonhei
[sem dormir.

Há coisas que quis sentir
só para escrever.
Das outras, escrevi
só por sentir tanto.

Adélia diz que,
o orgulho fede como um bom cadáver.
E disse mais,

Só vai doer agora
e não muito.
Então, depois faço o que
com esse pranto perdido?

9 comentários:

  1. gostei tanto do seu texto que resolvi fazer este

    um abraço


    sobre viver próximo ao verso por ramonlvdiaz

    eu não sei o teu nome e não sabê-lo não chega ser distância:
    é coisa que busca aproximar porque o meu peito é feito de sim
    no instinto do sonho - na aproximação que meus olhos tentam
    tímidos, inerentes às distâncias líricas próprias de não completar
    o que chamamos desencontro ser apenas contentamento na lua
    desesperadamente atrás de meras coincidências; cumprir o rito
    da escrita até evaporar essa esmeralda enquanto proclamo as
    palavras automáticas de semi abandono e o que adormeceu no
    encanto das horas noturnas e nem soube acordar - perdido em
    tantos sonhos a facilidade do ar se pesa, suspeita o que a mão
    absorve no calor do esforço que agora são conceitos e infinitos
    que inicialmente somente a penumbra que partiu nossa infância
    e manteve o ritmo e a asfixia nessa disposição espacial sempre
    em península, extra vaza odisseia em contínuo, não quer chegar
    e já é esquecimento [a carne que esmera no asfalto]
    [o cerne que esmorece astarte]
    confiamos demais no que a poesia absolve esperando vibrar
    diferente e expor dois corações - ossos do ofício de abraçar
    pessoas que nunca bastam no arrasto do meu verso feito em
    abismo moderado pois quero voltar ao lugar que diariamente
    sei que é renúncia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu gostaria muito de ter escrito isso!
      Incrível.

      Excluir
  2. adélia disse isso sobre o orgulho? nossa.
    realmente uma ótima analogia, mas se bem que nenhum orgulho também é faca q rasga e machuca.

    beijo pra vc, querida. uma ótima semana inspiradora.

    ResponderExcluir
  3. Sentir para escrever
    a etérea maldição do poeta

    Das outras, escrever
    só por sentir tanto.

    Belo

    Bjo.

    ResponderExcluir
  4. Excelente poema! Impressionante a fluidez de coisa tão bela.

    ResponderExcluir
  5. tão profundo e cheio de emoções que fica impossível ler e não sentir!
    dentrodabolh.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. O orgulho não combina com paixão. Ou se entrega sem reservas, ou se morre de ansiedade, sufocado pela vontade de...

    ResponderExcluir