segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Sem flechas e arpões, você foi meu. Porque sussurrou no meu ouvido que eu seria sua e fui.

Seus olhos me buscavam feito caçador
E há muito tempo eu queria ser a sua caça
Você escorado naquele bar,
somente alguns passos longe de mim
Me olhando devorando consumindo dizimando toda
Como se já tivesse me visto nua
Eu gostei da brincadeira
E depois você comprovou
que eu adoro um bom jogo
Joguei suas roupas no chão,
elas cintilavam com as luzes da televisão
Suas mãos quentes 
até agora não deixaram minha febre esfriar
Você é mesmo tudo aquilo que eu imaginava
Seu sorriso vai da perversão à graciosidade 
em menos de um minuto
Eu gozei só de olhar pra você
e ver você sorrindo enquanto olhava pra mim
Se você não for tudo isso,
agradeça por este endeusamento,
me procurando para sermos um do outro mais vezes 
Ah, eu quero pôr estes seus olhos de gato 
dentro de um vidro em conserva
Só para ter essas pupilas dilatadas dia e noite só para mim
Desculpe soar obsessiva,
mas quero de novo percorrer sua pele macia
e beijar este arcanjo tatuado em suas costas
Prevejo mais uma alucinação poética,
essa chamarei de Dionísio
Deus grego, representante da insânia.

8 comentários:

  1. Adoro a sensibilidade carnal desse teu erotismo poético, dá vontade de farejar o ar,pra sentir esse cheiro de amor e desejo nos teus versos. Penso que um homem que te inspire, faça qualquer coisa para ser "tudo isso"
    Abraço e boa semana.

    ResponderExcluir
  2. "Eu gozei só de olhar pra você
    e ver você sorrindo enquanto olhava pra mim"

    Esta nova inspiração combina com excitação das boas. Aproveite, garota.
    Mas a sorte é dele, pois no seu corpo ele vira poesia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E no corpo dele encontrei meu melhor papel.

      Excluir
  3. Adoro quando a palavra encontra um pouco da falta de pudor. A entranha de um sentimento é mais viva e real do que qualquer máscara.

    ResponderExcluir
  4. você faz parecer tão fácil... tudo flui melhor na tua poesia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo fluirá melhor agora, porque finalmente estou em paz. Já a facilidade nunca existiu, espere comigo por mais poemas sobre meu Dionísio.

      Excluir
  5. "Ah, eu quero pôr estes seus olhos de gato dentro de um vidro em conserva
    Só para ter essas pupilas dilatadas dia e noite só para mim" Espantosa, Guria! Tu e teus personagens, original ao extremo. Fernando Pessoa de saias, rs..

    ResponderExcluir
  6. Ótimo vê-la se entregando a novos personagens e novas perspectivas, Helen. Sua poesia engrandece.

    Beijos

    ResponderExcluir